Estado tem 54 casos suspeitos de sarampo em investigação, diz Secretaria de Saúde - Conecta Paraíba

Últimas Notícias

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Estado tem 54 casos suspeitos de sarampo em investigação, diz Secretaria de Saúde

Até o dia 4 de setembro, foram notificados 83 casos suspeitos de sarampo em municípios da Paraíba. Ao todo, 29 casos foram descartados. Nenhum deles foi confirmado 
Paraíba tem 34 casos suspeitos de sarampo em investigação, diz Secretaria de Saúde - Foto: Raíza Milhomem/Prefeitura de Palmas
A Paraíba tem 54 casos suspeitos de sarampo sendo investigados. Segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde (SES), até o dia 4 de setembro 20 casos estão sendo analisados já que a primeira amostra foi indeterminada.

De acordo com a pasta, até o dia 6 de setembro, foram notificados 83 casos suspeitos de sarampo em municípios da Paraíba. Ao todo, 29 casos foram descartados. Nenhum deles foi confirmado.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o sarampo é uma doença infecciosa, transmissível e contagiosa. Pode evoluir para complicações e óbitos, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

Estratégias de combate
De acordo com a gerente executiva de Vigilância em Saúde, Talita Tavares, uma das estratégias adotadas pelo Ministério de Saúde (MS) é a intensificação das vacinas de rotina, conforme Calendário Nacional de Vacinação, sendo duas doses a partir de 12 meses a 29 anos de idade e uma dose para a população de 30 a 49 anos.

“Outra estratégia é a dose zero para crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias. É bom lembrar que essa dose não será considerada válida para fins do Calendário Nacional de Vacinação, devendo ser agendada a partir dos 12 meses com a vacina tríplice viral e aos 15 meses com a tetraviral ou a tríplice viral mais varicela. O Ministério também recomenda o bloqueio vacinal seletivo em até 72 horas em todos os contatos do caso suspeito”, explica.

Recomendação
A SES recomenda, ainda, que todo paciente que apresentar febre e manchas vermelhas no corpo, acompanhados de tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, independente da idade e da situação vacinal, procure uma unidade de saúde para a notificação e tratamento imediato.

O secretário da Saúde, Geraldo Medeiros, pontua que a Paraíba ainda não apresentou casos confirmados da doença, porém é preciso estar atento para a atualização das cadernetas de vacinação. “A vacina é a única forma de prevenção da doença, que é altamente contagiosa e pode ser fatal”, alertou.

G1 PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas