Advogado do Treze tranquiliza torcida e diz que clube fica na Série C - Conecta Paraíba

Últimas Notícias

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Advogado do Treze tranquiliza torcida e diz que clube fica na Série C

Warllen Andrade explicou que não há risco de rebaixamento mesmo com o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) aceitando denúncia do ABC por possível escalação irregular de técnico
Advogado do Treze se mostra tranquilo diante da denúncia do ABC. Foto: Reprodução/ Facebook
Um dia após o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) acatar a denúncia feita pelo ABC de uma possível escalação irregular do técnico do Galo, Celso Teixeira, o advogado do Alvinegro de Campina Grande se posicionou sobre o acontecido. De acordo com Warllen Andrade, a torcida trezeana pode ficar tranquila, que o clube não perderá pontos e continuará na Série C do Campeonato Brasileiro em 2020.

“Não há risco do Treze ser rebaixado, até mesmo porque o artigo que fala sobre essa questão é o 223, esse artigo fala que a penalidade é de multa e não na perda de pontos. Então o artigo 214 possibilita apenas em casos com atletas e o técnico Celso Teixeira é membro da comissão técnica. A torcida pode ficar tranquila, pois o departamento jurídico do Treze é bastante cauteloso e está confiante. Vamos resolver tudo”, destacou o advogado.

Entenda o caso
O técnico Celso Teixeira foi punido pelo STJD quando estava no Central de Caruaru na Série D. Foi punido com suspensão por três jogos e mais 30 dias. Antes de cumprir a pena, ele foi contratado pelo Treze e comandou a equipe na partida contra o Confiança, pela 17ª rodada da terceira divisão do futebol nacional.

A base da ação do ABC foi o Regulamento Geral das Competições que, a partir deste ano, estabelece um tratamento igual entre técnicos de futebol e jogadores, e argumenta que o Treze infringiu o artigo 214 do CBJD.

Na Notícia de Infração, o ABC alega que ”se a mudança no regulamento veio punir com cartões o técnico de futebol, claramente as consequências de sua punição também devem ser as mesmas que são aplicadas aos atletas, e respectivos clubes, em caso de descumprimento. Assim, se a penalidade de perda de pontos é aplicável ao caso de atletas escalados de forma irregular, também o será no caso de participação do seu comandante técnico, possivelmente numa situação de importância bem superior para o clube”.

OP9

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas